data discovery

GONÇALO OLIVEIRA – CONHECIMENTO DO NEGÓCIO: VALE A PENA INVESTIR EM FERRAMENTAS ANALÍTICAS ?

gonc%cc%a7alo-oliveira_passe_fundo_branco

Gonçalo Marques Oliveira – CIO da GALP ENERGIA

No seu sector de atuação faz sentido investir em ferramentas analíticas? Em quais e porquê?

O tipo de soluções analíticas depende naturalmente das necessidades do negócio e estas são muito diferentes nas várias fases da cadeia de valor. No que diz respeito à área de produção e exploração damos primazia às ferramentas de recolha e análise da informação sobre características geológicas e geográficas para apoiar os técnicos na tomada de decisão sobre localizações a explorar e o melhor local para perfurar. Estas soluções, não só melhoram a eficácia de todo este processo, como têm um enorme impacto no negócio, devido aos elevadíssimos custos de exploração e na capacidade que estas tecnologias têm de aumentar as probabilidades de sucesso.

Por outro lado, na refinação e distribuição conseguimos obter uma otimização dos processos e da capacidade de aprovisionamento, refinação e logística de acordo com as necessidades de consumo em cada momento, por geografia ou tipo de combustível, bem como de fazer manutenção preditiva e de reduzir acidentes. Esta melhoria da produtividade tem forte impacto ao nível da capacidade da empresa de competir por preço.

Já no sector do Gas & Power, a análise da informação gerada por cada cliente, permite desenvolver uma oferta mais adequada, adaptada a cada necessidade e de melhorar a customer experience. A implementação destas soluções de análise pressupõe a existência de um ecossistema seguro de tecnologias muito abrangente que engloba várias camadas e que considera equipamentos, sensores, redes e conectividade para transporte da informação, alojamento da informação e das soluções de negócio e analíticas. Ao nível das ferramentas para responder a estas exigências de negócio, faz todo o sentido considerar as funcionalidades de data discoverydata mining ou redes neuronais, a visual analytics e machine learning.

Em que departamentos  da sua empresa considera que existem maiores dificuldades para encontrar soluções?

A utilização de soluções standard de mercado com desenvolvimentos adaptativos à realidade da Galp coloca o enfoque na captação das exigências do negócio e na implementação das soluções. Contudo, por vezes existe necessidade de encontrar soluções para responder a necessidades muito específicas e é necessário explorar o mercado procurando soluções adequadas – a globalização veio facilitar o acesso a informação e soluções. Na Galp, a nossa área de Sistemas de Informação ajuda as áreas de negócio na seleção das melhores soluções técnicas e na implementação dos projetos mas as maiores dificuldades estão claramente relacionadas com a sustentabilidade de negócio – cyber-segurança, infraestrutura e conectividade.

 Como vê a evolução desta área – business intelligence – nos próximos cinco anos?

Sobretudo no reforço da agilização das empresas no processo de transformação digital com foco na otimização de processos, na melhoria da customer experience e na captura de informação (estruturada e não estruturada). A saber:

– Automação de processos com base na informação recolhida massivamente por sensores e equipamentos (IoT);

– Utilização de sistemas cognitivos permitirá a tomada de decisões mais rápidas e assertivas com efeitos diretos na experiência do cliente (ofertas personalizadas ou canais de atendimento mais eficientes, por exemplo);

– Os utilizadores de negócio passarão a ter maior autonomia para utilizar ferramentas de business intelligence numa ótica de self-service e com utilização de linguagem natural.